Orientando quem Orienta o DIÁLOGO

 

Olha eu aqui novamente! Este é o terceiro artigo de uma série de 10 para refletir sobre a qualidade da prática do diálogo na atualidade. Lembra-se do convite para tomar um C H A (aquele sem acento)?

 

Inicio o diálogo com Jiddy Krishnamurti, um filósofo, escritor, e educador indiano, que “fala” assim: Para ser capaz de realmente ouvir, a pessoa deve abandonar ou pôr de lado os preconceitos (…) Quando você está em estado mental receptivo, tudo pode ser facilmente compreendido (…)

 

Segundo Sarita Chawala, o diálogo não é apenas falarmos uns com os outros. Mais que falar, é uma maneira especial de ouvirmos uns aos outros – ouvir sem resistência (…) é ouvir de um ponto onde estamos dispostos a ser influenciados.

 

Neste artigo, apresentarei a importância do ato de ouvir para a criação de parcerias colaborativas, para o desenvolvimento de significado compartilhado.

 

A parceria que consolida esta participação como colunista neste site Web Vegan (um MarketPlace de produtos veganos, orgânicos e naturais) é sustentada primordialmente pelo ato de ouvir e pelos interesses mútuos com a ecologia ambiental e pessoal, ou melhor dizendo, a ecologia ambiental trata do meio ambiente e a relação entre os ecossistemas naturais e artificiais. A ecologia pessoal trata do respeito a vida, aos valores humanos e universais, bem como da integração harmoniosa da pessoa no meio onde ela vive.

 

Para desenvolvermos a inteligência coletiva e o significado compartilhado das parcerias colaborativas, cada um deve estar disposto a aprender a ouvir observando três dimensões simultaneamente.

 

  1. Ouvir os outros para identificar aquilo que percebemos como importante;
  2. Ouvir a nós mesmos, nossa conversa interna e a própria voz (ouvir o que fala, na hora que fala);
  3. Procurar ouvir os temas coletivos, os significados compartilhados que o grupo cria constantemente, criando novos fluxos de significados.

 

No segundo artigo, você foi convidado para criar espaço na sua rotina para tomar um CHA (Conhecimento, Habilidades e Atitudes). OBSERVE-SE e OBSERVE quando você está ouvindo outro abertamente o que caracteriza seu ouvir? O que o comportamento observado gera no contexto e nas pessoas.  Sem ouvir o diálogo não pode existir.

 

Interaja livremente. Use o espaço abaixo para dialogar conosco comentando o que caracteriza o seu ouvir. Faça comentário aqui no site. Afinal, estamos dialogando coletivamente!

 

Agradeço a você por ter lido até aqui, e já lhe convido para tomar CHA, cocriando um novo design para melhor relacionamento intrapessoal e interpessoal e beneficiar mais pessoas com a mais poderosa ferramenta de comunicação…O diálogo!

 

Duvidas ou sugestões sobre este tema?  Estou a disposição para dialogar e compartilhar conhecimento! Dialogue comigo em [www.orientandoquemorienta.com.br]

 

Os seus comentários poderão fazer parte do e-book que será criado com os 10 artigos.

 

Referência: Diálogo – Redescobrindo o poder transformador da conversa, Linda Ellinor e Glenna Gerard, Editora Futura, 1998