Projetos inovadores podem ficar na gaveta para sempre se o profissional não souber apresentá-lo adequadamente. Ou podem ser aprovados em segundos, dependendo de seu poder de persuasão. Falar em público é uma habilidade e, como toda habilidade, precisa ser desenvolvida, dizem especialistas. A fonoaudióloga e professora de oratória Karina Braga destaca que, por meio de técnicas de oratória, a pessoa compreende que o medo de estar diante de um grupo de pessoas é um fantasma criado por ela mesma e que pode ser vencido em pouco tempo.

– O medo de falar em público é mais comum do que podemos imaginar. Pesquisas mostram que o medo de falar em público em alguns casos supera até mesmo o medo da morte – afirma Karina, acostumada a preparar políticos, professores, empresários e executivos para a hora de estar cara a cara com a plateia.

As dicas para falar em público com segurança

A especialista lembra que, hoje em dia, as empresas querem profissionais que se expressem bem: desta forma, estarão valorizando as instituições que representam.

– Falar bem é um diferencial, que define uma contratação e eleva o cargo de um profissional dentro da empresa. As pessoas que não procuram aprender as técnicas de oratória e se rendem ao medo de falar correm o risco de ter mais dificuldades de ascender profissionalmente ou de conseguir um emprego.

Estar bem preparado é a garantia de sucesso na apresentação, acrescenta a especialista. E como fazer isso: Saber o conteúdo que vai expor e se planejar para as possíveis perguntas que a plateia fará é fundamental. Também é importante treinar anteriormente a forma como será feita a exposição, seja sozinho, na frente do espelho, com o professor de oratória ou até mesmo com os familiares. Para ganhar naturalidade, aliás, nada como reunir um grupo de pessoas e fazer uma prévia de sua palestra.

Vale ainda, se o profissional tiver tempo e equipamentos, gravar uma apresentação caseira para avaliar onde é possível melhorar. Se possível, visite o local onde será feita a palestra. Além disso, diz a professora, é importante saber improvisar.

Nos cursos de oratória, são ensinadas técnicas de desinibição, impostação da voz, respiração, articulação clara das palavras sem vícios de linguagem, organização do pensamento e do discurso e postura.

O uso de tecnologias, como power point, por exemplo, ajuda a organizar a fala e orienta o orador, evitando esquecimentos. Porém, se o palestrante não se posicionar bem diante da projeção ou ficar lendo textos corridos e esquecer de olhar a plateia, a apresentação pode ser um desastre, alerta Karina. O orador deve apresentar na projeção apenas a essência da mensagem em poucas palavras, em letras visíveis a todos. Os números devem estar em forma de gráficos e as cores contrastantes, sem excessos.

– O orador deve estar preparado para usar esses recursos e também saber improvisar se a aparelhagem falhar.

Segundo a fonoaudióloga, as pessoas que estão com a auto-estima mais baixa devido a experiências negativas de fala têm mais dificuldades de superar o medo. Mas, na medida em que aprendem a falar em público, é nítido como se sentem mais realizadas tanto na vida profissional, quanto na pessoal.