Orientando quem Orienta o DIÁLOGO

 

Ouvir sem resistência, ou seja, ouvir sem ser influenciado pelo que foi dito. Fácil? Difícil? Possível?

 

Sarita Chawla criou o exercício de ouvir sem resistência, e eu os convido a realizar durante um mês, observando-se.

 

Vamos ao exercício…

 

 

  • Imagine que você se divide em duas pessoas, uma que age/reage na vida e outra que apenas observa, sem julgamentos.
  • Utilizando as perguntas a seguir, comece a observar a si mesmo na vida. Observe-se silenciosamente… Note seus estados emocionais internos…
  • Ao final de cada dia, note o que aconteceu e como você reagiu. Se desejar, sugiro que faça anotações para que possa começar a observar padrões do seu próprio comportamento.

 

Pergunte-se:

 

  • Com que eficácia estou sendo capaz de ouvir sem resistência?
  • Que emoções, reações e opiniões surgem quando eu sinto resistência ao que o outro está dizendo?
  • Em que parte do meu corpo estas resistências aparecem?
  • Qual é a qualidade do ato de ouvir quando eu não resisto?
  • Que nova compreensão eu tenho das pessoas e situações quando eu ouço sem resistência?
  • O que estou aprendendo?

 

Precisamos entrar num diálogo com receptividade para sermos influenciados e mudarmos apenas se essa receptividade nos levar a mudar com vontade. Isso requer o relaxamento temporário do apego que temos, tanto a favor quanto contra, a nossos posicionamentos e aos de outros.

 

Você aí, que está no lendo… Interaja livremente. Faça o exercício e comente sua aprendizagem  aqui no site.

 

Duvidas ou sugestões sobre este tema?  Estou a disposição para dialogar e compartilhar conhecimento! Dialogue comigo em [www.orientandoquemorienta.com.br]

 

Os seus comentários poderão fazer parte do e-book que será criado com os 10 artigos.

 

 

Referência: Diálogo – Redescobrindo o poder transformador da conversa, Linda Ellinor e Glenna Gerard, Editora Futura, 1998

 

Graça Santos

Colunista WebVegan